BIODIVERSIDADE | ÍNDICE DE SHANNON

MODELO "PONTO DE PARTIDA"

Como seria de esperar, a exploração Intensivo Pecuária e Extensivo Agrícola é a exploração que apresenta o maior índice de diversidade de habitat (índice de Shannon). O seu valor é o mais elevado e o mais expressivo (comparando com as outras explorações) nomeadamente devido à sua elevada complexidade e configuração paisagista – não só é a exploração com maior diversidade de estruturas de foco ecológico (existe um total de 11 estruturas diferentes) como é a exploração em que existe maior conectividade entre diferentes estruturas, quer seja por estas estarem adjacentes/contíguas umas às outras, ou por existirem estruturas lineares que as ligam umas às outras.

A exploração Agricultura de Conservação apresenta o valor mais baixo de diversidade de habitats visto que a sua complexidade paisagística não é tão grande. Apesar de existir uma forte conectividade entre as diferentes estruturas de foco ecológico – nomeadamente devido à presença de extensas margens de campo e valas – a pouca diversidade de estruturas faz com o seu índice de diversidade de habitats não seja mais elevado. O mesmo se aplica para as outras explorações. Quanto maior for a complexidade e configuração paisagística maior será o índice de diversidade de habitat. No caso da exploração Extensivo Minimalista e Densidade Animal Baixa era expectado que tivesse um valor mais elevado, devido à sua extensa área de Montado (“Agroflorestal”). No entanto a existência de barreiras (cercas e estradas) entre as diferentes áreas de montado quebra a sua conectividade.

MODELO "BOAS PRÁTICAS"

  • A exploração Intensivo Pecuária e Extensivo Agrícola continua a ser a exploração com maior índice de biodiversidade, passando de 1,29 para 1,41. Este aumento percentual de 9,30% advém de projetarmos a implementação de mais estruturas lineares (herbáceas lineares e lineares lenhosas) que ligam os diferentes habitats/ocupações de solo entre si e que permitem a livre circulação de diferentes tipos de fauna. No caso das herbáceas lineares – que representam cerca de 16% do índice – implementamos cerca de, 21,32 hectares de “Buffers” (orlas multifuncionais) numa extensão de 30km e cerca de 10 hectares de “Margens de Campo” ao longo de 27 km. No caso das Lenhosas lineares implementamos cerca de 3.28 hectares de “Sebes” ao longo de 8 km de extensão.  Ao aumentarmos ainda mais a complexidade e configuração paisagística desta exploração conseguimos criar um local ideal em que conseguimos ter uma boa produção agrícola/florestal que compatível com a promoção da biodiversidade.

  • As explorações Intensivo Agrícola e Agricultura de Conservação, mais uma vez, apresentam os valores mais elevados de evolução percentual, respetivamente 85% e 72,97%. Este grande aumento percentual justifica-se com o aumento da complexidade paisagística e conectividade (a exploração Intensivo Agrícola passa de 41 para 72 estruturas de foco ecológico enquanto que a exploração Agricultura de Conservação passa de 29 para 46).

  • No caso da exploração Intensivo Agrícola o aumento advém da implementação de 20,45 hectares de “Bosquetes” (estrutura lenhosa), 1,02 hectares de “Margem de Campo” e 4,51 hectares de “Buffers” (ambas estruturas herbáceas lineares). Os dois conjuntos de estruturas são de facto as mais significativas, a estrutura lenhosa representa cerca de 34% do total do índice, enquanto que as estruturas herbáceas lineares representam cerca de 27%.

  • No caso da exploração Agricultura de Conservação, o aumento advém da implementação de 6,64 hectares de “Bosquetes” (estrutura lenhosa), 2,85 hectares de “Buffers” e 0,7 hectares de “Margem de Campo” (ambas estruturas herbáceas lineares) e 0,21 hectares de Sebes (estrutura lenhosa linear).Os três conjuntos de estruturas são as mais significativas, a estrutura lenhosa representa cerca de 26%, as estruturas herbáceas lineares 24% enquanto que a estrutura lenhosa linear representa cerca de 7,28%.

Logo_CROP_RESIZE.jpg

VOLTAR