. AGRICULTURA DE CONSERVAÇÃO .

   É uma exploração localizada no concelho de Campo Maior e na Freguesia de Nossa Senhora da Expectação sendo que o seu limite a Este é a fronteira com Espanha e encontra-se dentro do perímetro do Caia. A nível de condicionantes a exploração encontra-se totalmente no Sítio de Interesse de Conservação do Caia e na extrema contígua Norte da exploração encontra-se a Zona de Proteção Especial de Campo Maior.

   Tem uma área de 111 hectares sendo que o seu objetivo principal é a produção de alimentos – contém dois grandes pivots no qual se faz rotação entre culturas onde se destaca leguminosas, trigo, cevada dística e trigo mole. A exploração essencialmente caracteriza-se por praticar uma agricultura de conservação com mobilizações mínimas/quase nenhumas de solo que promove/mantém a matéria orgânica existente no solo – desde que foi posta em prática a matéria orgânica já passou de 0,5% para 4%. Para além dos cantos dos pivots serem aproveitados para se fazer rotação de culturas e para desempenhar um papel de controlo natural de pragas (tremocilha por exemplo), vale destacar a área exclusiva de superfície de interesse ecológica de 6 hectares (entre os pivots) onde já foram avistados ninhos de abetardas.

GC01

A nível de elementos paisagísticos de foco ecológico realça-se;

  • a existência de árvores isoladas (azinheiras) a Norte com pequenos muretes intercalados que não só promovem o sequestro de carbono assim como criam áreas de habitat natural para a vida selvagem;

  • a existência de culturas fixadoras de azoto (leguminosas) que desempenham o papel de controlo natural de pragas;

  • a existência de pequenos bosquetes nos cantos dos pivots e nas extremidades da exploração que desempenham um papel de abrigo para a fauna existente e promovem a polinização das culturas por toda a exploração;

  • a existência de uma grande zona de superfície de interesse ecológico;

  • a não existência de limites físicos com as explorações vizinhas que promove a ligação com outros habitats naturais/seminaturais externos à exploração

IMG-20200214-WA0002_edited

GC03

No que toca às boas práticas em causa, realça-se;

  • regeneração natural feita nos cantos dos pivots;

  • utilização de leguminosas como culturas fixadoras fixadora de nitrogénio e como estruturas de controlo natural de pragas

  • a não mobilização dos solos (já permitiu o aumento da matéria orgânico do solo - passando os níveis de 0,5% para 4%).

Logo_CROP_RESIZE.jpg

VOLTAR

. CONTACTOS .

LÍDER DO CONSÓRCIO: ANPOC

Email: geral@anpoc.pt

Telefone: 266 700 321 / 266 708 321

Morada: Av. Heróis do Ultramar, n.º 56

7005 – 161 Évora

Para mais informações: http://anpoc.pt/

Projeto cofinanciado por:

Logotipos_Barra_PDR_PT2020_FEADER.png