TALHADIA DE CURTA ROTAÇÃO

São estruturas de arvoredo densamente plantadas, de alto rendimento, que são colhidas num ciclo de até 10 anos. As raízes não são perturbadas, o corte das árvores é feito a nível do solo, fazendo com que as árvores voltem a brotar reiniciando o ciclo.

6.Estetico.png
8.Polinização.png
5.Pragas.png
4.Erosão.png
2.Anfibios_Prancheta 1.png
14.Mamiferos.png
9.Morcegos.png
1.Abelhas_Prancheta 1.png
7.Invertebrados.png
3.Aves.png
11.Repteis.png
16.Pequenos Mamiferos.png

A flor das espécies de talhadia de curta rotação pode fornecer uma fonte de néctar e pólen para insetos – especialmente os salgueiros, os Prunus e as tílias. A regeneração natural das flores silvestres no subsolo das plantações de espécies caducas pode aumentar a diversidade das flores silvestres que porventura favorecem também os invertebrados polinizadores (que consequentemente são também uma fonte de alimento para morcegos e aves insetívoras). Quando ocorre o desenvolvimento de gramíneas estas proporcionarão potenciais locais de nidificação para algumas espécies de abelhas, ou aumentará potencialmente a presença de pequenos locais de nidificação para pequenos mamíferos. Para além disso, são boas culturas de cobertura de inverno e são potenciais locais de hibernação para insetos predadores de pragas de culturas. A frequência limitada de cultivo e restabelecimento de novas espécies favorece as populações predadoras de insetos existentes. O número equilibrado de invertebrados ativos à superfície, aumenta o número de aves insetívoras e de espécies de pequenos mamíferos insetívoros e herbívoros. A maior diversidade estrutural de habitats pode ser benéfica para os répteis durante as fases iniciais do estabelecimento.

 

A lixiviação de nitratos é reduzida em comparação com as culturas arvenses, visto que não é aplicado azoto suplementar e a frequência de lavoura é reduzida. Esta situação leva a uma redução na taxa de mineralização e libertação de azotos a partir da matéria orgânica existente. Um sistema de enraizamento permanente e mais profundo utiliza o azoto existente nos nitratos mais eficazmente do uma cultura arvense ou terra arável. Para além disso, a reduzida frequência da lavoura aliada a um aumento da estrutura/cobertura vegetativa reduz a erosão do solo e o escoamento superficial de fosfatos.

Logo_CROP_RESIZE.jpg

VOLTAR